Nadeshico sushi: onde os sushis são feitos por mulheres

Sushi shokunin, como são chamados os artesãos de sushi, tradicionalmente são homens. Há muitas explicações para este ofício ser praticamente domínio exclusivo dos homens, mas todas elas sem nenhum fundamento científico. Dizem que as mãos das mulheres são mais quentes, e que isso pode prejudicar o frescor dos peixes. Também falam que as mulheres têm o metabolismo abalado por conta do seu ciclo menstrual e que isso prejudica a percepção do paladar. Tudo é desculpa para defender a classe, dominada por homens. De fato, a cozinha das casas de sushi é praticamente uma extensão da peixaria, e lá na ponta, em sua origem, dos pescadores, um mundo exclusivo dos homens. Há um comportamento comum entre os pescadores e vendedores de peixe, que eles têm que ser enérgicos e rudes, para espelhar o frescor dos peixes. É só dar uma olhadinha nos mercados de peixe para perceber esse vigor.

Para quebrar esse tabu, um grupo de mulheres se juntou para lançar uma casa de sushi, onde todas que trabalham atrás do balcão são “sushi women”. A bandeira da emancipação feminina se ergueu em Akihabara, bairro conhecido dos turistas que procuram eletrodomésticos, computadores e games. É lá que foi aberto o Nadeshico Sushi, em setembro de 2010. O grupo de sushi women se diferencia das tradicionais casas de sushi, oferecendo um padrão de atendimento kawaii, a cultura da fofurice. Chizui Yuki, a itacho da casa, explica que ela mesma vai todos os dias ao Mercado de Tsukiji, em Ginza, para escolher os melhores peixes e frutos do mar do dia. “Vou de bicicleta, pedalando 4,5 kilômetros”. Ela foi escolhida entre 400 candidatas à época da abertura da casa.

Meninas fazendo sushi. Raridade no Japão.

A proposta da casa segue o conceito que dá nome ao estabelecimento. Nadeshiko é um padrão de comportamento da mulher japonesa idealizada, de sofisticação e refinamento. A esta feminilidade, Yuki ainda incorporada uma preocupação com a estética do sushi. Formada em Design, ela acredita que o sushi é um produto do design japonês, como as gravuras ukiyoê. Por isso, a apresentação do prato deve ser impecável, segundo ela.

Set padrão de sushi: nove niguiri (toro, akami de atum, dois peixes brancos, engawa-barriga do salmão, vieira, camarão rosado), um gunkan de ovas de salmão e um temaki de camarão, por 3.000 ienes (aproximadamente R$ 100,00)

E o sushi do Nadeshiko é bom? Fomos espiar o Trip Advisor, e a avaliação é bem crítica. “Não é uma casa de sushi, elas oferecem algo parecido com o sushi”, diz uma visitante. “Admiro o empenho, mas mais parece uma versão sushi de uma Maid Café, só rola em Akihabara”, diz outro cliente, referindo-se aos cafés onde as garçonetes se vestem de Lolitas. Qualidade à parte, o marketing tem funcionado, e o Nadeshiko já foi destaque em muitos jornais, inclusive no Japan Times. A clientela é formada por otakus (adoradores de animê e cultura pop) em sua maioria, mas vão muitos homens engravatados sedentos por um bate-papo com as meninas.

Clientela predominante: otakus e lolitas.

Essa baixa avaliação é consequência também do despreparo da chef Yuki. Ela mesma diz que só trabalhou de ajudante na filial de Asakusa do famoso Ginza Sakae Sushi, durante seis anos, mas não chegou nem perto do balcão de sushi. Fez um curso concentrado de duas semanas e abriu o Nadeshiko. Mas todos sabem que para se tornar um bom sushi shokunin, são necessários pelo menos 10 anos de trabalho intenso no balcão. Só então, o aspirante a sushi shokunin pode iniciar sua carreira profissional. Como faltou esta formação a Yuki, é natural que avaliação não seja boa. A pegada desta casa é outra. Sushi kawaii.

Bom pra bater papo com as sushi girls.

Ah, e aqui tem temaki e sushi vegetariano, para a alegria dos estrangeiros.

E para os vegetarianos: sushis de raiz de lótus, beringela, eringui, cogumelo, cebolinha, gunkan de cará, temaki de maionese de batata e de moyashi, hosomaki de ervas. Acompanha sopinha.

Caso queiram arriscar:

Nadeshico Sushi Tokyo-To Chiyoda-ku Sotokanda 3 chome-12

Tel: (03) 3254-6661 Mapinha aqui e indicações de como chegar (dá pra ir facinho, a partir da estação Akihabara da JR)

0Shares