Maathai sensei, que mottainai sua partida.

A ativista queniana Wangari Maathai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz 2004, morreu vítima de um câncer, anunciou nesta segunda-feira o movimento que ela fundou, o Cinto Verde.

Maathai morreu no domingo, aos 71 anos, no hospital de Nairóbi após uma corajosa e prolongada luta contra o câncer, acompanhada de parentes, informou o organismo em seu site. “A morte de Maathai é uma grande perda para todos os que a conheciam e para quem admirava sua determinação para fazer um mundo mais pacífico, mais saudável e um lugar melhor”, acrescentou.

Maathai, que tinha três filhos e uma neta, foi uma das primeiras mulheres de África Ocidental com uma cátedra universitária, com um doutorado em Biologia.

Autobiografia de Maathai, publicada no Japão. Best Seller.

Em 1977 fundou o Movimento Cinto Verde (Green Belt), um dos programas de mais sucesso de proteção do meio ambiente, graças ao qual se plantaram no Quênia 20 milhões de árvores, sobretudo por mulheres.

Em 2004, quando o Comitê Nobel de Oslo anunciou a concessão do prêmio a Maathai destacou sua posição “à frente da luta para promover um desenvolvimento ecológico, que seja viável socialmente, economicamente e culturalmente, no Quênia e na África”.

O organismo ressaltou que Maathai teve uma aproximação global ao desenvolvimento sustentável que “abraça a democracia, os direitos humanos e em particular os direitos da mulher”.

Maathai e o Japão

Com o então premiê Yasuo Fukuda

Maathai ficou muito conhecida no Japão, ao abraçar o conceito japonês de Mottainai (Não Desperdiçar) e aplica-lo a causas sociais e ambientais. Adotou inclusive o Furoshiki como uma ferramenta para esta ação de conscientização ecológica.

Maathai aprendeu sobre o Mottainai durante uma entrevista com o editor sênior do Jornal Mainichi, em 2005. Este conceito  articula a ideia de não desperdiçar recursos e usá-los com gratidão e respeito. No Japão, todos os setores da sociedade estão envolvidos na campanha, incluindo as crianças, as organizações de mulheres, políticos, artistas, empresas, professores, mídia e instituições financeiras. O conceito Mottainai também reforça os laços de bem com a campanha 3R: Reutilizar, Reduzir e Reciclar.

No Quênia, Maathai também adotou a campanha Mottainai em torno da eliminação de resíduos de plástico do ambiente natural. Hoje, a campanha no Quênia está crescendo e tem sido responsável por influenciar mudanças políticas em torno da produção e utilização de materiais derivados de plástico. Com o agravamento das mudanças climáticas ocupando a agenda das discussões globais, a Campanha Mottainai tem a oportunidade de compartilhar uma mensagem nova e única com o resto do mundo.

 

 

No dia 21 maio de 2009,  a professora Wangari Maathai foi premiada com a mais alta condecoração do Japão, a Medalha da Ordem do Sol Nascente pelo seu trabalho na promoção mundial da Campanha Mottainai. A cerimônia foi realizada na residência do embaixador japonês em Nairobi, no Quênia.

Maathai com estudantes de um colégio em Hiroshima.
O governo japonês lhe concedeu este prêmio em reconhecimento à sua contribuição para a proteção do meio ambiente, conscientização do povo japonês para as questões ambientais e na promoção japonesa iniciativas ambientais ao redor do mundo. Maathai desempenhou um papel imenso na promoção da diplomacia ambiental do Japão através de várias atividades, mas em particular através da promoção da Campanha Mottainai. Ela também foi reconhecida por seu envolvimento na 4 ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano maio 2008.

Capa do livro Mottainai, de Maathai. Mais um best seller no Japão.

Deixa lacunas irreparáveis no movimento de conscientização de proteção ao meio ambiente, e Jojoscope presta aqui uma homenagem pelo seu trabalho, monumental pela dimensão que conseguiu atingir, e absolutamente emergencial, pelos problemas que a Terra e as culturas enfrentam neste momento.

Aqui no Brasil, as campanhas de reuso, reciclagem e redução ainda caminham a passos lentos, mas a olhos visíveis.

Entrevista coletiva concedida durante a sua quinta visita ao Japão, em fevereiro de 2010. Tornou-se um documento importante para preservação de suas ideias ambientais e políticas. Aqui, Maathai convoca o Japão a tomar liderança na luta contra o aquecimento global.

Campanha de reflorestamento no Quênia, capitaneada por Maathai.

 

0Shares