A trajetória de uma mulher cosmopolita

A socióloga Yumi Garcia dos Santos revela a trajetória de Cecília Hirata, uma mulher que vivenciou a diversidade cultural  de maneira plena, e mesmo em épocas turbulentas do pós-guerra, soube manter a sua visão humanista. O livro onde Yumi revela várias fases de sua vida, “Cecília Hirata – vida e família de uma mulher cosmopolita”, foi publicado pela Editora Terceiro Nome e foi lançado em 2010. No dia 15 de Setembro, às 19 hs, acontece um relançamento, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil.

Relançamento no Museu da Imigração Japonesa

“Cecília Hirata – vida e família de uma mulher cosmopolita” é uma biografia que convida o leitor a trilhar o longo caminho entre o Japão e o Brasil junto com Cecília Hirata, esposa do falecido Deputado Federal João Sussumu Hirata, com escalas nos países da Ásia do pré-guerra, e passagem por episódios marcantes da história do século XX, como a Guerra do Pacífico, o Japão do pós-guerra e os grandes movimentos migratórios que fariam diminuir o poder das fronteiras.

A primeira parte do livro nos apresenta a infância e o itinerário que conduziria Cecília a São Paulo, em 1952, ao lado de seu marido, filho de imigrantes oriundos de Imamura, uma aldeia de Cristãos clandestinos (kakure kirishitan) em Kyushu. Cecília, filha de diplomata, viveu em Portland, Manila, Pequim e Hong-Kong, durante a infância e a adolescência; depois de iniciada a Guerra do Pacífico, em Tóquio, e no imediato pós-guerra, em Imamura, já casada. A segunda parte do livro oferece o retrato de Cecília madura com várias faces: a mãe zelosa da criação de seus oito filhos, a esposa de político intimamente ligado à colônia japonesa, em específico à Associação Howa-kai (conterrâneos de Imamura), a estrangeira num mundo novo, a egressa de um país devastado pela guerra numa sociedade que o “futuro” ainda estava por vir.

Por se inserir na evolução da sociedade brasileira e da colônia japonesa no Brasil, desde os idos de 1950, a “trajetória sui generis de uma mulher da elite japonesa que se casou com um homem estrangeiro, de classe social muito diferente” fornece elementos para enriquecer a “memória das mulheres” de modo geral, e, mais especificamente, das mulheres da comunidade japonesa no Brasil. Ademais, a partir de uma abordagem da vida privada de Cecília e sua família, o livro é uma contribuição para os estudos da imigração.

A socióloga brasileira Helena Hirata, hoje residente em Paris, veio especialmente para o lançamento do livro sobre a sua mãe. Foto: Fernando Peterman

Para participar deste relançamento, acaba de chegar ao Brasil uma de suas filhas, a socióloga Helena Hirata, trabalhando hoje na França, no Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNRS) e na Universidade de Paris  8, e que esteve recentemente no Japão, com uma bolsa da Japan Foundation. “Saí do Japão, fiquei três dias em Paris, só para deixar as malas, e vim correndo para este lançamento”, comentou ontem Helena para Jojoscope. Ela discorreu rapidamente sobre a atuação de seu pai, enquanto deputado federal, como responsável pela inserção de diversas empresas japonesas no Brasil na década de 60 e 70, como a Honda na Amazônia. O deputado  atuou também, de forma marcante,  na consolidação de importantes joint-ventures, como a Usiminas.

Yumi Garcia dos Santos é doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo e Université Paris 8 e pesquisadora de pós-doutorado do Centro de Estudos da Metrópole, em São Paulo. Ela traz em sua formação, assim como Cecília, as marcas e a visão de múltiplas culturas: nasceu na Bélgica, de mãe japonesa e pai brasileiro, e morou em várias cidades do mundo como Washington D.C., Rio de Janeiro, Tóquio, Kobe, Louvain-la-Neuve, antes de optar por se instalar em São Paulo.

 

 

O livro

Título: Cecília Hirata – vida e família de uma mulher cosmopolita

Autora: Yumi Garcia dos Santos

Prefácio de Sedi Hirano, orelha de Robert Cabanes e contra-capa de Helena Hirata

Editora: Terceiro Nome Ano: 2010 Formato: 176 páginas, 14 x 21 cm

Preço: R$ 28,00 ISBN: 978-85-7816-068-5

 

Lançamento do Livro

Dia 15 de setembro de 2011, quinta-feira, às 19h, com a presença da autora, Yumi Garcia dos Santos, a filha e socióloga Helena Hirata,  o advogado Tuyoci Ohara e o professor dr. Sedi Hirano, da Universidade de São Paulo, que farão pequenas comunicações sobre o assunto.

Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

Rua São Joaquim, 381 – 9º andar – Liberdade – São Paulo – SP (próx. à Estação de Metrô São Joaquim)

 

0Shares