As Leis Místicas: a música tema

O anime As Leis Místicas bem que poderia ser um filme de horror, ao mostrar a situação de risco em que o Japão atual se encontra. Proibido de se meter em guerras pela nova constituição aprovada após a Segunda Guerra Mundial, o país tem apenas uma força defesa para defender-se de eventuais ataques inimigos. Há contudo uma legião de incrédulos, que não acreditam que essa defesa seja suficiente para garantir a paz na nação, especialmente quando grandes potências, como a China vêm mostrando cada vez mais sua vontade de se posicionar frente a todas as nações. No anime, os Estados Unidos aparece decadente, sem a força de outrora, e nem as Nações Unidas já têm mais o papel pacificador que justificou sua existência.

Nesse cenário de apatias, surge o império de Godom, para dominar a Terra. Há claras alusões sobre o perigo iminente que vem de fora, mas a maior crítica que o anime revela é justamente, a falta de força e  de preparo estratégico dos próprios japoneses. O duelo de dragões pode até remeter a longínquas desavenças entre o Japão e a China, mas é mais provável que o cerne da questão é mais de foro íntimo, denunciando um Japão enfraquecido e sem perspectivas, após as sucessivas crises econômicas. Buscando sobreviver num arquipélago sempre inundado por tsunami, chacoalhado por terremotos, e agora com o perigo de contaminação que vêm das usinas nucleares danificadas, o que resta para o Japão senão esperar por uma força milagrosa que possa salvá-lo inclusive do perigo iminente de invasão.

Algumas curiosidades do filme:

Júlia, a companheira de trabalho do personagem principal Sho Shishimaru, é uma jovem brasileira, que pertence à organização Hermes Wings. É médica, e extremamente competente em seu trabalho.

Konohananosakuya Bime é uma deusa que surge também na literatura clássica japonesa, como Kojiki (古事記)e Nihon Shiki (日本書記) Crônicas do Japão. Tem o poder de manipular monstros sagrados como a grande serpente Yamata-no-Orochi. 

A música tema foi composta pelo produtor e criador de Shinpi no Hou (As Leis Místicas), Okawa Ryuho, com adaptação musical de Mizusawa Yuichi, e cantada por Choruspice.

0Shares