Jum Nakao se despede das Olimpíadas

“Em um país onde todos são Reis, não há escravos”

 

“Na noite de domingo, 12 de agosto de 2012, ao final da cerimônia de encerramento da trigésima Olimpíada em Londres, ocorreu a passagem da bandeira Olímpica para a futura sede em 2016, Rio de Janeiro. Neste momento da cerimônia, um gari, solitário em meio a imensidão de um estádio lotado, começa a varrer o palco. Renato Luis Feliciano Lourenço, mais conhecido como Sorriso, com um grande abraço e seu cativante sorriso rompe barreiras e apresenta o Brasil de seus sonhos para o Mundo. Um país onde todos são Reis e Rainhas, um país repleto de riquezas e de felicidade.

O que o Mundo vê a partir daí são imagens de um relato imaginário, de um sonho de um brasileiro, Reis dourados felizes em rufar seus tambores e fazer flutuar na imensidão do estádio a bateria de uma escola de samba, rainhas de escola de samba com dignidade e inteligente humor cult 70’s e iluminadas como num Cassino, a rainha das águas transportada por ondas conduzidas pela obra de nosso grande Maestro, Heitor Villa Lobos, índios coroados com cocares tecnológicos ensinando sabedoria ao Mundo através do necessário respeito e aprendizado com a natureza, Reis do Maracatu iluminados como um parque de diversão, um bispo do rosário e da racionalidade comandando o discurso atômico, capoeiristas em traje de gala desenhando o espaço aéreo para a chegada do nosso show man que com seu brilho, suingue e bossa apresenta a reluzente beleza da mulher brasileira refletida em cada movimento, casais pontuando cores sólidas através do movimento de seus corpos o entorno deste cenário, estruturas origamis, como os bichos de Lygia Clark e modernista como Athos Bulcão, pavimentam a avenida do nosso saber para em seguida ser calçada beira mar.

O fio condutor de todos os figurinos foi a simplicidade da linguagem e a gambiarra aparente. O traçado exposto. A magia e o truque compartilhados. Enfim, a inventividade e a generosidade inscrita no DNA da alma brasileira.

Que o sorriso do sonho desta noite nos acompanhe sempre que acordarmos!”

 

 

 

Croquis de Jum Nakao para os figurinos que abrilhantaram a cerimônia de passagem da bandiera olímpica para o Rio de Janeiro

 

0Shares