A miragem de um futuro

Metabolistas criaram visões de cidades do futuro que viraram referência para a reconstrução do Japão pós-Guerra.

 A Mori Museum de Tokyo inaugura hoje, uma mega-exposição panorâmica sobre o maior e mais importante movimento de arquitetura japonesa, que revolucionou o pensamento urbanístico e arquitetônico nos anos de 1960.

Tange Kenzo Yamanashi Press and Broadcasting Center 1966 Yamanashi, Japan Photo: Shinkenchiku-sha

Na década de 1960, um grupo de arquitetos japoneses criou um movimento que gerou imagens para o futuro das cidades. O grupo, liderado por Kenzo Tange, tinha membros que viraram sinônimo da moderna arquitetura japonesa para o mundo. Kisho Kurokawa, Kiyonori Kikutake, Fumihiko Maki, que mais tarde teriam seus projetos estampados nas revistas de arquitetura do mundo todo, criaram o movimento Metabolismo, que se inspirava nos princípios da biologia, para mostrar que a cidade é um tecido vivo, que se expande e se movimenta como um organismo.

Otaka Masato, Maki Fumihiko Group Form 1960 Tokyo

1960 foi uma década de reconstrução do Japão, arrasado pela Segunda Guerra. A economia crescia, alavancada pela proximidade das Olimpíadas de Tokyo, que iria ser realizado em 1964. Isso causou uma corrida na construção, urbanização de cidades com um ritmo jamais visto.

Para relembrar estes momentos, foi inaugurada hoje uma exposição no Mori Art Museum, de Tokyo, intitulado Metabolism: The City of the Future, . Quem estiver em Tokyo não pode deixar de conhecer o Mori Art Museum, que fica no 53 andar do Mori Building, no complexo Roppongi Hills, com uma vista estonteante da cidade, cenário mais do que adequado para esta exposição.

Quem é quem no Metabolismo

A Conferência Mundial de Design, realizado em 1960 foi a oportunidade para disparar para o mundo, os conceitos revolucionários deste grupo, que leu e sacramentou o manifesto Metabolismo/1960 – Propostas para um Novo Urbanismo.  Aqui o “núcleo duro” do Metabolismo.

Kenzo Tange (1913-2005), conhecido mundialmente como o maior arquiteto do Japão, foi o mentor intelectual do movimento metabolista. Suas principais obras são o Estádio Nacional Poliesportivo de Yoyogui, o Centro da Paz em Hiroshima, Exposição Internacional de Osaka. Veio ao Brasil em 1984, participar do Congresso Cidades do Futuro.

 

Otaka Masato [1923-2010]

Trabalhou com um dos expoentes do modernism japonês, Kunio Maekawa. Fundou seu escritório em 1962 e foi peça chave no movimento metabolista. Um de seus projetos mais representativos é o Sakaide Housing Complex, um conjunto residencial construído sobre um aterro e a Master Plan da Exposição de Tsukuba de 1985.

Kawazoe Noboru [1926 – ]

Escritor e critico de assuntos ligados a arquitetura, planejamento urbano e civilização. Foi o porta voz do movimento metabolista. Organizador do World Design Conference em 1960. Publicou o livro Metabolism/1960 – Propostas para um Novo Urbanismo, com Kisho Kurokawa e outros autores.  Outras obras importantes: Kenchiku no Metsubo (A Extinção da Arquitetura) e Tami to Kami no Sumai (A Morada dos Povos e dos Deuses).

 

Kikutake Kiyonori [1928-]

Fundou em 1953, a K. Kikutake Architects. Acolheu como estagiário o internacionalmente famoso arquiteto Toyo Ito. Em 1960, junta-se ao grupo Metabolista. Desenvolveu seu próprio método de design, o qual intitulou  Ka Kata Katachi (Arquitetura Metabolista- Ordem, Protótipo, Forma) . Sua residência, Sky House  ganhou destaque por sintetizar estas ideologias, e sua obra mais conhecida é o Museu Edo=Tokyo.Foi o produtor executivo da Expo 2005, a Exposição Internacional de Aichi, no Japão.

Maki Fumihiko [1928-]

Membro da Tange Laboratory, formou-se na Graduate School of Design, Universidade de Harvard.Juntou-se ao grupo Metabolita em 1960. Fundou seu proprio escritório, a Maki and Associates, em 1965. Desenvolveu diversos projetos considerados modernistas, como o Edifício Spiral e a sede da TV Asahi, ambos em Tokyo. Hillside Terrace é um projeto seu, que ficou conhecido pela flexibilidade com que ele epode ser ampliado e é recheado de ideias metabolistas. Seu projeto mais recente é a Torre 4 do novo World Trade Center, em Nova York.

Awazu Kiyoshi [1929~2009]

Designer gráfico de grande projeção, tem desenhado cartazes e capas de livros. Participou do grupo Metabolista a partir de 1960. Colaborou com Kiyonori Kikutake, na decoração de interiores para o Hotel Tokoen. Tem se envolvido na temática ambiental e reforça sua tese de que o meio ambiente é a palavra chave para consolidar o Metabolismo.

Ekuan Kenji [1929-]

Proeminente designer industrial. Fundou  a GK Industrial Design Institute (atual  GK Design Group) in 1957. Foi um dos membros inaugurais do grupo Metabolista em 1960. Extendeu as ideias metabolistas para o desenho industrial, através da filosofia do Dogu (Ferramentas).  Uma de suas conhecidas criações é a molheira para os shoyu Kikkoman. Mas vai muito além: também é dele o desenho de algumas motos Yamaha, o trem Narita Express que liga Tokyo ao aeroporto internacional de Narita. Ganhador do prêmio G-mark Good Design e mais diversos prêmios.

 

Isozaki Arata [1931-]

Trabalhou no Laboratório Tange em projetos como o A Plan for Tokyo-1960, a Osaka Expo ’70, e o plano piloto para a reconstrução da cidade de Skopje. Fundou em 1963, a  Arata Isozaki & Associates . Projeto  a Biblioteca Municipal de Oita (atual Oita Art Plaza), Museu de Arte Contemporânea de  Los Angeles, e muitos outros projetos no Japão e no Oriente Médio e China. Nes momento, desenvolve um plano urbanístico para a cidade de Zhengzhou,na China. . Isozaki é também um grande pensador e autor do livro Kenchiku no Kaitai (Desconstruindo a Arquitetura) entre outros títulos.

Kurokawa Kisho [1934-2007]

Membro do Laboratório Tange é um dos membros fundadores do Metabolismo, e seu representante mais exuberante, seja nos projetos seja nas teorias. Seu projeto metabólico mais conhecido, e o único realmente construído é o Nakagin Capsule Tower Building, erguido no bairro de Guinza, com uma arrojada concepção de apartamento-cápsula. Uma de suas últimas obras foi o Centro Nacional de Artes, e os aeroportos de Tokyo e Kuala Lumpur. Uma de suas publicações mais importantes é Filosofia da Simbiose, onde dá sequencia e desenvolvimento aos conceitos do metabolismo na arquitetura.

Nakagin Capsule Tower, projeto de Kisho Kurokawa: único edifício efetivamente construído com bases metabolistas.

 

A exposição é diividida em quatro seções, e um Metabolism Lounge.

Festival Plaza, Expo'70 1970 Osaka Photo: Shinkenchiku-sha

Seção 1 – O Nascimento do Metabolismo: as bases filosóficas que sustentam o Metabolismo, sintetizadas no manifesto “Metabolismo 1960 – Propostas para um Novo Urbanismo”

Seção 2 – Era do Metabolismo – Os projetos de cidades do futuro e a arquitetura experimental. Um panorama sobre os aspectos conceituais do novo urbanismo.

Seção 3 – Do espaço para o ambiente – O meio ambiente como chave para se entender as cidades do futuro.

Seção 4 – Metabolismo Global – a internacionalização dos conceitos metabolistas.

Metabolism Lounge –  as ideias atuais para as cidades do future.

kikutake: Marine City

MORI ART MUSEUM

Roppongi Hills, 53 andar,  6-10-1 Roppongi, Tokyo.

Tel 03-5777-8600 para informações

Ingresso: 1.500 ienes (não inclui entrada para o Sky Deck)

Acesso:

0 mins a pé do Roppongi Station |Tokyo Metro Hibiya Line (Roppongi Hills exit)

4 mins a pé do Roppongi Station |Toei Oedo Line

5 mins a pé do Azabu Juban Station | Toei Oedo Line

0Shares