Mochi: o bolinho sagrado

Osonae Mochi: bolinho de arroz oferecido às divindades. Uma prática tradicional dos agricultores, ainda hoje seguido por famílias japonesas para cultuarem seus antepassados.

Os japoneses começam o ano com mochi, um bolinho de arroz glutinoso, chamado “mochigome”.

No praça da Liberdade, em São Paulo, a comunidade japonesa ainda se reúne para fazer o seu tradicional “Mochitsuki”, o ritual de bater o mochi num pilão de madeira com um marreta. O mochi feito na hora é distribuído para os interessados.

O mochi começa a ser feito na véspera do Ano Novo para ser consumido no primeiro dia do ano. Tradicionalmente, o mochi era uma oferenda dos agricultores para os deuses, e ainda hoje se vê famílias japonesas que têm oratório em casa, oferecer dois bolos de mochi sobrepostos, nos oratórios. É o chamado “osonae mochi”.

O mochi pode ser considerado como a síntese da alimentação do povo japonês. Sua alvura remete à pureza.

Seu consumo era restrito para os dias mais festivos, como o início do ano. O ozouni, o mochi num caldo dashi, é uma maneira de compartilhar este alimento sagrado com os deuses. Há inúmeras maneiras de se preparar o Ozouni de Ano Novo. Muitos seguem receitas regionais. Outros são inventados nos próprios lares. O fato é que o Ozouni é um dos pratos mais comfort food para os japoneses.

Ozouni para começar o Ano Novo. Inúmeras preparações fazem do ozouni um prato versátil. O mochi pode ser introduzido no caldo diretamente, ou grelhado, dando uma tostadinha na casca para ficar mais crocante. Há também os que preferem frito. E no complemento do caldo, alguns ingredientes tradicionais como o kamaboko e naruto, que são massas de peixe, aguê (folha de tofu), legumes, e camarão. ),

No vídeo que produzimos para o programa Sabores dos Sabores, convidamos o escritor e pesquisador Daigo Masao, para falar sobre a antropologia do mochi, seu significado histórico e a intrínseca relação com a formação cultural do povo japonês. Também temos a participação do chef Carlos Watanabe que nos ensina como preparar um bom ozouni com caldo dashi. E a professora Lumi Toyoda ensina como comê-lo com elegância.

Chef Carlos Watanabe, do tradicional Restaurante Sushi Kiyo nos ensina como se faz um bom caldo dashi. Foto: Jo Takahashi

Curtam então mais um programa da série Saberes dos Sabores!  E bom início de ano !

E a continuação….

0Shares